fbpx

Tomar a vacina contra a gripe não o protege apenas a si, mas também aqueles que o rodeiam, já que não tendo infeção não irá transmiti-la! 

Atualmente, vivemos ainda num contexto pandémica da COVID-19, e como tal, nesta época, para além de promovermos a Vacina contra a Covid-19, é de extrema importância relembrarmos o porquê de protegermo-nos contra o vírus da Influenza, o causador da gripe.  

Sim, é possível receber as duas vacinas, e mais do que isso, é essencial! 

Foi em plena segunda guerra mundial, que um jovem estudante de medicina conhecido como Jonas Salk e sua equipa de pesquisadores, conseguiram criar o que hoje é algo tão comum nos nossos dias, a vacina da gripe!  

Mas, afinal o que é a Gripe? 

A gripe é uma infeção viral causada pelo vírus Influenza. Muito diferente do que alguns pensam, a gripe não é o mesmo que um resfriado/constipação. Ambos podem trazer sintomas semelhantes, mas, além dos vírus causadores serem diferentes, o quadro clínico no resfriado é bem mais leve, não deixando a pessoa incapacitada, como ocorre na gripe causada pelo vírus Influenza! 

Existem vários vírus da Influenza, sendo que dois são de maior importância, o Influenza A e o B. O influenza A infeta não só humanos como também outros animais mamíferos, e dissemina-se muito mais rapidamente, podendo causar pandemias (contaminação de vários países). Por sua vez, a Influenza B é exclusiva dos humanos. 

Como saber se tem gripe ou um resfriado comum? 

Tanto o paciente com um leve resfriado, quanto o doente com gripe, podem ter sintomas parecidos, como coriza – nariz congestionado e rinorreia (pingo ao nariz), espirros, dor de garganta, tosse e dor de cabeça. Mas o paciente infetado pelo vírus Influenza (gripe) possui um quadro muito mais intenso, com os seguintes sintomas:  

  • Febre alta (acima de 38ºC); 
  • Dor muscular; 
  • Cansaço e fraqueza; 
  • Perda do apetite;  
  • Vômitos e sintomas intestinais (principalmente as crianças pequenas). 

Então, por mais que exista uma grande confusão no reconhecimento pela população entre resfriado e gripe, esta última é uma infeção viral muito mais séria e que pode levar a complicações muito graves para o paciente, tais como desidratação, dificuldade respiratória abrupta, pneumonia e em casos avançados e de diagnóstico tardio, até a morte.  

Quem deve ser vacinado? 

Segundo a Direção Geral da Saúde (DGS), nas orientações para a vacinação contra a gripe em 2021,  a vacinação contra a gripe é fortemente recomendada para os seguintes grupos prioritários: 

  • pessoas consideradas com alto risco de desenvolver complicações pós gripe:  
  • pessoas com 65 anos ou mais, particularmente se residentes em lares de idosos (Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas) ou outras instituições 
  • residentes ou internados por períodos prolongados em instituições prestadoras de cuidados de saúde, como por exemplo hospitais 
  • grávidas 
  • doentes com mais de 6 meses de idade e que apresentem doenças crónicas ou imunitárias 
  • pessoas com probabilidade acrescida de contrair e transmitir o vírus:  
  • que residem com crianças ou que lhes prestem cuidados, cuja idade não permita a vacinação e que tenham risco elevado de complicações 
  • que residem com pessoas consideradas de alto risco de desenvolver complicações pós gripe 
  • saúde ocupacional  
  • profissionais dos serviços de saúde (públicos e privados) e de outros serviços prestadores de cuidados 
  • bombeiros 
  • profissionais de infantários, creches e equiparados 
  • profissionais dos estabelecimentos prisionais 
  • pessoas incluídas nos seguintes contextos:  
    • residentes em instituições, incluindo lares de idoso (Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas), lares de apoio, lares residenciais e centros de acolhimento temporário 
    • utentes de serviço de apoio domiciliário 
    • doentes na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) 
    • pessoas apoiadas no domicílio pelos serviços de apoio domiciliário (Segurança Social ou Misericórdias Portuguesas) 
    • doentes apoiados no domicílio pelas equipas de enfermagem das unidades funcionais prestadoras de cuidados de saúde ou com apoio domiciliário dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde 
    • doentes internados em unidades de saúde do Serviço Nacional de Saúde e apresentem doenças crónicas para as quais se recomenda a vacina 
    • reclusos nos estabelecimentos prisionais 

Recomendo, ainda, a vacinação das pessoas com idade entre os 60 e os 64 anos

Qual a importância da Vacinação contra a Gripe? 

Ao ser vacinado, diminui muito a probabilidade de ser contaminado pelo vírus Influenza. A vacina faz com que sejam criados anticorpos no nosso organismo (as defesas) e que em caso de contaminação pelo Influenza, será mais rapidamente reconhecido e combatido pelas nossas defesas (anticorpos). Para além disso, as pessoas vacinadas, mesmo que contatem com o vírus, têm uma menor probabilidade de sofrer de complicações da infeção, de serem internadas por isso, e de falecerem por gripe!  

Tomar a vacina contra a gripe não o protege apenas a si, mas também aqueles que o rodeiam, já que não tendo infeção não irá transmiti-la! 

Como se não bastassem todas estas vantagens, ainda recordamos que ao ser vacinado contra a Influenza, ajuda não só os seus familiares, protegendo-os indiretamente, como também o sistema de saúde, diminuindo o recurso aos Hospitais, Serviços de Urgência, Centros de Saúde, e evitando internamentos, libertando esses serviços para atuarem contra a atual pandemia da Covid-19. 

Neste momento, temos a decorrer a Vacinação contra a COVID-19 (para quem ainda não fez o esquema completo e uma 3ª dose para as pessoas acima dos 65 anos e imunodeprimidas) e a Vacina contra a Gripe. Podem ser dadas em simultâneo ou com um intervalo de 14 dias entre elas, e desta forma estaremos protegidos de duas infeções virais de grande importância na humanidade! 

Autoria: Susana Calejo Rios | Médica de Família

Gripe sazonal e importância da vacinação contra a gripe
Tagged on:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.