fbpx

Os Exames de Rastreio Pré-Natal não proporcionam um diagnóstico, mas identificam as grávidas com risco aumentado de ter um filho com uma anomalia genética. Se tal verificado, têm indicação para realização de exames de diagnóstico pré-natal, como a biópsia das vilosidades coriónicas ou amniocentese.

O Rastreio do 1º Trimestre é atualmente aceite como o melhor meio de rastreio pré-natal de Síndrome de Down/Trissomia 21. Permite, também, calcular o risco de trissomia 18 e 13. Está recomendado a todas as grávidas, independentemente da idade.

Este rastreio – Rastreio Combinado, realiza-se entre as 11 e as 13 Semanas +6 dias de gestação e engloba dados do(a):

  • Rastreio Bioquímico – que consiste na colheita de sangue para doseamento de duas substâncias presentes no sangue materno – PAPP-A e β-hCG;
  • Ecografia do 1º Trimestre – que avalia primariamente a idade gestacional, a translucência da nuca, a presença de ossos do nariz.

O Resultado indica o Risco do feto ter Trissomia 21, 18 ou 13 e é expresso da seguinte forma:

  • Alto Risco – rastreio positivo, significa que o feto tem elevada probabilidade de ter uma malformação. Nestas situações deve ponderar-se a realização de um exame de diagnóstico.
  • Baixo Risco – rastreio negativo, o feto tem uma baixa probabilidade de ter malformações, mas não assegura a 100% um bebé normal. Nestas situações não deverá necessitar de realizar exame invasivos.

A realização destes exames deve ser feita sob orientação médica de modo a que gravidez seja devidamente acompanhada, e o casal esclareça as suas dúvidas de forma adequada.

Ana Sofia Nogueira | Médica Especialista de Medicina Geral e Familiar

Rastreio Pré-Natal 1º Trimestre

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.